Lennart Nilsson, o mestre da fotografia


Lennart Nilsson faz 90 anos em 24 de agosto e pode rememorar uma carreira incomparável como fotojornalista. Ele é único como um educador com uma câmara. Foi chamado de "um homem da Renascença no Século XX" e foi comparado ao gênio universal Leonardo da Vinci.  Doutor honorário em medicina e filosofia. Recebeu o título de professor e ganhou medalhas de ouro do governo, da Academia Real das Ciências da Suécia e do Instituto Real de Tecnologia (KTH -- Kungliga Tekniska Högskolan), em Estocolmo. Ele foi o primeiro recipiente do Prêmio Hasselblad, em 1980, recebeu o título de Mestre da Fotografia e ganhou o "World Press Photo" ("Fotojornalismo Mundial) e três "Emmy Awards" ("Prêmio Emmy"), o Oscar mundial da TV, por seus filmes. E na ocasião de seu 75o aniversário, foi instituído, em 1997, o "Lennart Nilsson Award" ("Prêmio Lennart Nilsson"), uma premiação internacional para fotógrafos que trabalham dentro do espírito de Lennart Nilsson.


Lennart Nilsson retratou muita gente, tanto famosa quanto desconhecida: membros da realeza, escritores, cientistas e grandes empresários, bem como "pessoas comuns", em uma série de reportagens de trabalho.
Ele tinha uma habilidade natural para ganhar a confiança das pessoas e se aproximar delas.
Quando Nikita Khrushchev visitou a Suécia em 1964, havia sete pessoas sentadas na mesa de jantar de Tage Erlander - além do próprio convidado de honra, estavam à mesa o primeiro-ministro sueco, os ministros de Relações Exteriores da União Soviética e da Suécia, dois intérpretes e Lennart Nilsson. Ele foi apresentado como um velho amigo de Erlander e ficou até as primeiras horas da manhã batendo papo e brindando com o ditador soviético.
Enquanto equipes de jornalistas reunidas tiveram de se contentar com fotografar o "príncipe herdeiro" de Erlander, em frente das Casas do Parlamento, em 1954, Lennart Nilsson acompanhou Olof Palme a sua casa em Vällingby e tirou fotos de um pai amoroso e seus filhos jogando futebol. E quando Ingmar Bergman estava filmando em Fårö, Lennart Nilsson conseguiu capturar o diretor e toda sua equipe em uma foto de grupo. 

Ingrid Bergman 

A Rainha Sílvia, da Suécia

Louis Armstrong  


Nos anos 60, Lennart Nilsson foi contratado pela Life Magazine e rompeu barreiras nos limites entre o científico e o artístico com sua reportagem sobre a forma que um bebê nasce.
Em 1965, sua reportagem de capa para a Life se tornou um bestseller insuperável. Seu livro A Child is Born (Nasce uma Criança) foi publicado no mesmo ano. O livro foi traduzido para mais de 20 idiomas (o último foi o chinês) e foi publicado em cinco edições: 1965, 1976, 1990, 2003 e 2009. Vendeu milhões de exemplares.


Suas fotografias são encontradas em cédulas de dinheiro e em selos, em livros escolares e enciclopédias. E algumas delas estão, no momento, a caminho do espaço, a abordo das sondas especiais Voyager I e II da NASA, como parte de uma saudação do planeta Terra.
O fotógrafo, cujo lema é o de que nada é impossível, foi fartamente premiado durante os anos, por suas ambições fotográficas, jornalísticas e científicas.
ESTOCOLMO, 6 de julho de 2012 - PRNewswire  
PER LINDSTRÖM 

Professor adjunto de fotografia da Universidade Mid Sweden

POSTAR UM COMENTÁRIO //

 
© Copyright 2010-2016  ‣  Blog Carlos Frederico Silva  ‣  Tecnologia Blogger  ‣  Customizado por Studio UPSE7E